Troca do manto de Nossa Senhora do Rocio marcou o início das festividades da Padroeira do Paraná nesse domingo, 31 de outubro.

Na noite de domingo (31), centenas de devotos estiveram presentes no Santuário Estadual de Nossa Senhora do Rocio para acompanhar a cerimônia de troca do manto da Santa Mãe. Um dos momentos mais aguardados e emocionantes foi a descida da imagem oficial da Mãe do Rocio de seu nicho, quando caminhou entre os devotos.

Na ocasião, o manto de Nossa Senhora do Rocio, que vestirá a imagem até a próxima festa, em 2022, foi apresentado aos fieis. A produção da nova vestimenta foi inspirada no tema da festividade “Mãe do Rocio, envolvei-nos em vosso manto de amor e proteção”.

De acordo com o designer que produziu o manto, Fábio Ítalo, o manto simboliza proteção, amparo e amor. “Os bordados em dourado, que adornam o manto, simbolizam a realeza e nos lembram de que Nossa Senhora do Rocio é rainha do céu e da terra. Conforme diz o Salmo 44, ‘À vossa direita se encontra a rainha, com veste esplendente de ouro de Ofir”, diz.

A concha que aparece no novo manto também tem uma importante simbologia. Ela é utilizada em iconografias sobre a anunciação de Nossa Senhora e remete à água que, por sua vez, é matéria da purificação, da vida nova e da regeneração pelo batismo.

“Podemos observar que existem cinco relicários em formato de concha, eles são uma homenagem aos dois papas vivos: Papa Bento XVI e Papa Francisco. Além disso, também homenageiam o bispo Dom Edmar Peron, que representa a diocese de Paranaguá, o padre Dirson Gonçalves, missionário redentorista e reitor do Santuário Estadual de Nossa Senhora Rocio e o papa São Paulo VI, que proclamou Nossa Senhora do Rocio como Padroeira do Paraná”, explica Fábio Ítalo.

Além disso, também há o monograma do santíssimo nome da Virgem Maria, junto a uma coroa de doze estrelas, que representa os apóstolos de Jesus Cristo. Para finalizar, a nova vestimenta conta com um broche, que é um crucifixo estilizado, homenageando todas as vítimas da Covid-19.

A peça foi bordada em cetim italiano, fios de linha de ouro, vidrilhos, miçangas, pérolas, strass e pedras semipreciosas. A arte e bordado é de Fábio Ítalo, com a participação de Phillipe Ralph e João Renato Bonaldi.

Retomada das procissões e cavalgada

Diferentemente do ano passado, a 208ª edição da Festa Estadual de Nossa Senhora do Rocio, que acontece neste ano, contará com a maior parte de suas tradicionais procissões e, ainda, uma novidade: a 1ª Procissão Motociclística. A marítima não ocorrerá devido às obras de reforma que estão sendo realizadas no trapiche do Rocio e a solene será substituída por uma carreata, assim como em 2020.

A programação das procissões será aberta no dia 06, sábado, com a 1ª Procissão Motociclística, que terá participação de mais de 25 motoclubes de Paranaguá e litoral paranaense. Os motociclistas partirão do Posto Jardim Paranaguá, no bairro Jardim Samambaia, às 14h, e seguirão, junto à imagem de Nossa Senhora do Rocio, em direção ao Santuário de Nossa Senhora do Rocio. Além disso, eles estão arrecadando alimentos para distribuir às famílias carentes da cidade.

No dia seguinte, 07, domingo, acontece a 7ª Cavalgada da Fé, com concentração e saída da Fazenda Mandaguari (Estrada das Colônias, próximo à PR 508 – Alexandra/Matinhos), às 8h30. A cavalgada é organizada pelos participantes dos Centros de Tradições Gaúchas (CTGs) locais e deve contar com mais de 100 cavalos realizando o trajeto até o Santuário do Rocio, junto às famílias.

Além disso, no mesmo dia, acontece a 15ª Procissão Motorizada, com saída da Paróquia São João Batista, no Parque São João, às 16h. São esperados mais de 100 veículos que levarão a imagem da Mãe do Rocio pelas principais ruas de Paranaguá até o Santuário, acompanhados de um carro de som. O cronograma prevê uma parada em frente ao Hospital Regional do Litoral e, também, em frente à prefeitura.

No dia 13, sábado, será realizada a 9ª Procissão Ciclística, a partir das 16h, com saída da Praça dos Leões, no centro da cidade. Centenas de ciclistas participam todos os anos e levam a imagem peregrina em direção ao Santuário do Rocio.

Na segunda-feira, dia 15, é a vez da tradicional e grandiosa Procissão Solene, que está em sua 208ª edição, tal qual a Festa do Rocio. Por conta da pandemia, o trajeto do Santuário do Rocio até a Catedral

Diocesana de Paranaguá será feito em forma de carreata, assim como em 2020, partindo às 16h do Santuário. Haverá policiamento, ambulância de prontidão, um carro de som, além do andor de Nossa Senhora do Rocio, em cima de um carro.

“No ano passado, mais de 3 mil carros participaram da carreata, e todos foram abençoados. Porém, muitas pessoas decidiram fazer o trajeto da procissão a pé, algo que não recomendamos por conta do momento de pandemia que estamos. Queremos reforçar que é necessário seguir as orientações sanitárias para evitar o contágio pelo coronavírus e que as pessoas não se arrisquem a ir a pé”, destaca o reitor do Santuário, padre Dirson Gonçalves.

No dia seguinte, terça-feira (16), acontece a Procissão de Retorno, fazendo o caminho inverso do dia anterior, ou seja, a imagem de Nossa Senhora do Rocio será levada da Catedral até o seu Santuário. A saída será às 19h.

Para o padre Dirson, as procissões fizeram muita falta no ano passado e, devido ao avanço da vacinação contra o coronavírus, em Paranaguá, neste ano, puderam retornar. “As romarias fizeram bastante falta no ano passado, porque são marcas muito importantes da festa. São momentos bem tradicionais, que no ano passado não tivemos, e neste ano estamos resgatando e, se Deus quiser, ano que vem também teremos a marítima”, conclui.

Clique aqui e confira a PROGRAMAÇÃO COMPLETA DA FESTA DA PADROEIRA DO PARANÁ – NOSSA SENHORA DO ROCIO.

(Luiza Rampelotti – Assessoria de Imprensa | Santuário do Rocio)

LITURGIA DIÁRIA

Últimos Posts