Na tarde de hoje, 10 de maio, segundo dia do encontro dos Padres Coordenadores Diocesanos da Ação Evangelizadora no Paraná, o tema principal foi a Pastoral do Dízimo. O bispo de Campo Mourão (PR) e referencial para a Pastoral do Dízimo no Paraná, dom Bruno Elizeu Versari, trabalhou o tema com os padres a partir de três pontos: os textos bíblicos, a evolução histórica e os desafios atuais.

Dom Bruno iniciou sua reflexão a partir da pergunta: “Por que é tão difícil falar sobre o dízimo?”. A partir de então, ele recordou como o dízimo é abordado na Bíblia, desde o tempo de Abraão, quando o dízimo era algo voluntário, até o tempo dos Atos dos Apóstolos, quando nasce a Igreja, a partir da partilha dos bens.

Em seguida, dom Bruno fez um resgate histórico sobre a história do dízimo na Igreja do Brasil, desde o seu descobrimento em 1500. Ele relatou que até 1891 era tarefa do rei recolher o dízimo e sustentar a Igreja e o clero. Depois, com a separação da Igreja do Estado, o sustento da Igreja ficou a seu próprio cargo, o que acarretou um período de grandes dificuldades. Esse relato histórico ajuda a compreender por que a cultura do dízimo ainda é frágil na Igreja.

Por fim, dom Bruno trouxe a questão do dízimo para os dias atuais, para a realidade do Regional Sul 2 da CNBB, questionando: “Em que podemos ser mais ousados, criativos, unidos e missionários?”.

Segundo dom Bruno, é muito importante discutir, partilhar e estudar o dízimo com os padres coordenadores da ação pastoral e evangelizadora nas dioceses. “O padre é o primeiro evangelizador e o dízimo é para evangelizar, faz parte do processo evangelizador das pessoas. No grupo dos padres, a minha intenção é propor a eles esse entusiasmo pela Palavra de Deus e o dízimo está na Bíblia”, relatou o bispo.

Após a exposição de dom Bruno, os padres fizeram um momento de partilha, relatando as experiências de dízimo que tem dado certo e também os desafios que encontram em suas dioceses. Dom Bruno recordou que, no período da pandemia, as dioceses que já tinham o dízimo bem estruturado e organizado passaram com menos dificuldades.

Ao final da tarde, o grupo fez uma visita pastoral à Cúria da Arquidiocese de Maringá (PR). Logo após, concluíram as atividades do dia com uma missa na Catedral Nossa Senhora da Glória, que foi presidida pelo bispo de Guarapuava (PR) e secretário do Regional Sul 2 da CNBB, dom Amilton Manoel da Silva, ladeado pelo padre Genivaldo Ubinge, da Arquidiocese de Maringá (PR), pelo padre Alex Cordeiro dos Santos, da Arquidiocese de Curitiba (PR), pelo padre Fábio Welter, da diocese de Foz do Iguaçu (PR) e pelo padre Divo de Conto, da Arquidiocese de Cascavel (PR). O encontro terminará nessa quarta-feira, 11 de maio, ao meio dia.

(Karina de Carvalho – Assessora de Comunicação da CNBB Sul 2)

LITURGIA DIÁRIA

Últimos Posts