Mil novas árvores para cada um dos 60 anos de criação da diocese de Campo Mourão (PR)

Na manhã do dia 6 de outubro, a Diocese de Campo Mourão (PR) encerrou o projeto do plantio de 60 mil mudas de árvores em seu território. O projeto, que compõe uma das iniciativas em comemoração ao jubileu de 60 anos de criação da diocese, teve início no dia 3 de abril e contou com o apoio do Instituto Ambiental do Paraná (IAP) e do Instituto Água e Terra (IAT).

Dom Bruno Versari e padres da diocese acolhendo as mudas de árvore em abril de 2020 | Foto: Jornal Servindo

Durante os seis meses de execução do projeto, as mudas foram distribuídas para as paróquias e comunidades religiosas, com o objetivo de contribuir com o meio ambiente na tentativa de eliminar o CO2 produzido pelos veículos. As plantas variavam entre nativas e frutíferas, sendo elas: Ipê (roxo e amarelo), Gabiroba, Guaritá, Jabuticaba, Marmeleiro, Palmito, Pitanga, Pinheiro Araucária, Acerola, Gurucaia e Quaresmeira.

“Todas as paróquias utilizam veículos e é comprovado que as árvores absorvem mais da metade dos gases tóxicos, por isso o incentivo do plantio”, afirma Rubén Moiano, coordenador diocesano da Pastoral do Turismo que, junto com padre Gaspar Gonçalves da Silva, idealizaram o projeto do plantio.

Membros da Fraternidade “O Caminho” plantando as mudas recebidas da diocese | Foto: Diocese de Campo Mourão

O bispo diocesano de Campo Mourão, Dom Bruno Elizeu Versari, contou que dentre os vários projetos pastorais idealizados para a comemoração do ano jubilar, esse do plantio das árvores conseguiu ser executado plenamente, mesmo com a pandemia. “Com a chegada da pandemia, muita coisa parou, porém, o plantio das árvores não, de forma que, quando chegou o mês de setembro já tínhamos concluído o plantio das 60 mil mudas de árvores na diocese.

O projeto:

Inspirado na encíclica do Papa Francisco Laudato Sì (Louvado sejas), o objetivo do plantio das árvores foi o de compensar a emissão de poluentes na atmosfera gerada pelos automóveis.  A encíclica, publicada em 2015, é inspirada no modo de vida de São Francisco de Assis e trata sobre o meio ambiente e o cuidado com a criação.

Para o senhor Rúben Moiano, “não é possível falar de sustentabilidade sem ações sustentáveis”. Como a meta das 60 mil mudas foi atingida, a diocese irá propor a distribuição de mais 100 mil mudas em 2021.

Para Dom Bruno, o sucesso do projeto se deve ao envolvimento de toda a comunidade com a causa: “Tenho certeza que toda pessoa que plantou uma árvore nesse período, não vai esquecer desse gesto vinculado à fé, mas também do cuidado com o meio ambiente, o cuidado da casa comum. Eu fiquei muito contente por que é um gesto muito bonito e vem de encontro à proposta do Papa Francisco de cuidar da casa comum. Foi muito gratificante por que as pessoas de fato se envolveram e atingimos essa meta”.

Dom Bruno (ao centro) acompanha o plantio das últimas mudas de árvore | Foto: Jornal Servindo

Sobre o ano jubilar no contexto de pandemia, Dom Bruno ponderou que, mesmo com as limitações, muita coisa foi realizada. “Se por um lado, não foi possível avançar em alguns aspectos, devido aos cuidados sanitários para evitar o contágio do Coronavírus, por outro lado avançamos naquilo que foi possível realizar num serviço mais personalizado, como esse do plantio das árvores. Destaco também o serviço da Pastoral da Comunicação na diocese, que ajudou as comunidades a se manterem próximas e se fortalecerem, mesmo que distantes. Agradeço a Deus por tantas pessoas que não mediram esforços e ajudaram para que tudo isso pudesse acontecer”.  

(Com informações do Jornal Servindo – Diocese de Campo Mourão)

LITURGIA DIÁRIA

Últimos Posts