Leigos e leigas, religiosos e religiosas, consagrados, padres e bispos estão reunidos na Casa Dom Luciano, em Brasília (DF), para a Assembleia do Cone Sul da Etapa Continental do Sínodo sobre a sinodalidade. Nesse evento que faz parte do processo que se desenvolve desde 2021, cada grupo tem dado sua contribuição a partir da sua realidade e celebra o momento de vivência sinodal.

É como a jovem Leticia Barbudez, do Paraguai. Ela tem 26 anos e é a participante mais jovem do evento. Em seu país, faz parte da equipe nacional dos jovens e coordena a Pastoral Juvenil na sua diocese. Para ela, a assembleia é uma experiência muito bonita e especial.

“Eu espero que a Igreja também possa contar com nossa contribuição a partir das nossas realidades e seguir também sentindo esse grande Espírito Santo que vai conduzindo todo esse momento. Os jovens também estamos presentes nesse processo tão importante, marcando também a história”, partilhou.

Letícia Barbudez

Mariana Anabel García, religiosa da delegação argentina, contou sentir grande alegria por participar da assembleia, considerada por ela um momento muito enriquecedor, “por escutar as observações e as distintas visões das diferentes regiões do Cone-Sul”. “Tenho certeza que o Espírito está falando, segue falando, e se manifesta fortemente em cada um dos testemunhos e vivências que vamos compartilhando”, comentou.

Mariana García

A assembleia continental também é espaço para acolher as chamadas periferias, como a realidade dos povos indígenas. Hosana Castro de Oliveira, da etnia Puruborá, de Rondônia, participa da assembleia e ressalta o chamado do Papa Francisco para que a Igreja olhe para os pobres, nos quais estão incluídos os indígenas e os negros. “Eu me sinto muito orgulhosa, muito honrada por ser uma mulher e ser participante desse grupo. Preciso aprender muito mais com vocês e também dar minhas contribuições”, disse.

Hosana Castro de Oliveira

Entre os quase 30 bispos que participam do evento, está dom Ángel Macín, bispo da diocese de Reconquista, na Argentina, e coordenador da Rede Eclesial para o Grande Chacco e Aquífero Guarani. Para ele, a assembleia proporciona a vivência do espírito sinodal.

“Nos sentimos irmãos – sacerdotes, religiosas, religiosos, bispos, leigos, leigas – todos buscando e tratando de caminhar de uma forma diferente, em uma Igreja na qual podemos descobrir juntos o que nos pede nosso tempo para testemunhar a presença de Jesus Cristo. O ambiente, o clima aqui é muito lindo, muito especial. Peço que siga nos acompanhando com a oração”, motivou.

Dom Ángel Macín

Estão reunidos mais de 180 representantes de Brasil, Argentina, Uruguai, Paraguai e Chile para esta assembleia continental que segue até a próxima sexta-feira, 10 de março.

(Fonte: CNBB)

LITURGIA DIÁRIA

Últimos Posts