O Conselho Nacional de Leigos do Regional Sul 2 da CNBB (CNLB-Sul 2) realizou na manhã do último sábado, 8 de outubro, uma reunião com bispos e representantes do CNLB da Província Eclesiástica de Londrina. A reunião aconteceu no Santuário São Miguel Arcanjo, em Bandeirantes (PR), e contou com a participação de 12 pessoas, dentre elas o arcebispo de Maringá e referencial para o laicato no Paraná, dom Severino Clasen, o bispo de Jacarezinho, dom Antônio Braz Benevente, o bispo titular e o emérito de Cornélio Procópio, dom Marcos José dos Santos e dom Manoel João Francisco e o presidente do CNLB-Sul 2, Walter de Souza Fernandes.

A reunião teve por objetivo apresentar as prioridades do CNLB-Sul 2 para a gestão 2022/2024. Entre elas: a reestruturação dos CNLBs diocesanos da Província Eclesiástica de Londrina, tanto na parte organizacional como financeira; a priorização da formação permanente do laicato, principalmente sobre Doutrina Social da Igreja; e a continuidade dos projetos em andamento, dentre eles o encantar a política e a discussão sobre os pedágios no Paraná.  

Dom Severino afirmou que sua participação na reunião teve a finalidade de esclarecer e incentivar a organização do laicato nas dioceses da Província de Londrina. “Foi um encontro muito fraterno, agradável e de esclarecimento sobre a dignidade, a missão e a vocação dos cristãos leigos e leigas, na Igreja e na sociedade. Foi um momento fraterno de diálogo, na linha da sinodalidade e da construção das relações dignas do laicato no Paraná”, disse o arcebispo. 

O bispo de Cornélio Procópio, dom Marcos José, avaliou a reunião como muito positiva. “Tanto nós, bispos, quanto os leigos que participaram da reunião saíram muito animados e motivados para a formação e fortalecimento desse Conselho, a fim de que os leigos tenham uma atuação cada vez mais concreta e participativa nas dioceses”, afirmou o bispo.  

A partir da reunião, a presidência do CNLB-Sul 2 colocou-se à disposição das dioceses para auxiliar no processo de reorganização dos CNLBs diocesanos. “Estamos disponíveis para ajudar a reelaborar os estatutos, os regimentos, organizar a eleição de diretoria, da parte financeira e orçamentária”, explicou Walter. 

Dom Marcos afirmou que ter o Conselho de leigos na diocese é de extrema importância para estimular a organização, a participação e o protagonismo dos fiéis leigos na Igreja e na sociedade. “É próprio dos leigos viver a sua missão no mundo da cultura, da educação, da economia, da política, inseridos na sociedade e dando testemunho da fé cristã. Assim como, na organização laical no seio da Igreja, estimulando os grupos, as pastorais, os movimentos a se articularem e serem uma presença atuante na Igreja”, disse o bispo.  

(Karina de Carvalho – Assessora de Comnicação da CNBB Sul 2)

LITURGIA DIÁRIA

Últimos Posts