No último final de semana, dias 29 e 30 de julho, a paróquia Nossa Senhora de Fátima, na diocese de Ponta Grossa (PR), recebeu o secretário executivo da CNBB Sul 2, padre Valdecir Badzinski, para uma visita pastoral missionária, em nome do Conselho Missionário Regional (COMIRE).     

No sábado, dia 29, padre Valdecir presidiu a missa na comunidade Nossa Senhora de Nazaré, com a concelebração do pároco, padre Edemar de Souza, e do diácono Pedro Lang. Após a missa, aconteceu um momento de confraternização e, em seguida, as lideranças participaram de um momento de formação missionária. 

Na manhã do domingo, dia 30, padre Valdecir presidiu a missa na Matriz Nossa Senhora de Fátima, também com a concelebração do padre Edemar e do diácono Pedro Lang. Após a missa, aconteceu um momento de formação missionária para as lideranças da matriz e das comunidades em geral.  

Nas missas, padre Valdecir falou a toda comunidade sobre a Missão São Paulo VI, mantida pela Igreja do Paraná no país da Guiné-Bissau, na África, desde o ano de 2014. Relatou como ela nasceu, tem se desenvolvido até aqui e como é a realidade do povo e a vida dos missionários que pra lá são enviados. Ao mesmo, motivou a assembleia a crescer na consciência missionária, que todo batizado deveria ter, pois a missão acontece, primeiramente, em nível local.  

A programação da visita foi articulada com o padre Edemar, junto ao Conselho Missionário Paroquial (COMIPA), que tem como coordenadora a irmã Matilde Sacardo; ao Conselho Missionário Diocesano (COMIDI), que tem como coordenadora a irmã Hermelinda Maria Ruschel; a Coordenadora da Infância e Adolescência Missionária (IAM), Sueli Aparecida Guimarães; e ao casal diácono Pedro Lang e Salete Lang, que foram os primeiros missionários na Guiné-Bissau, no período de 2015 a 2019, e hoje pertencem à paróquia visitada.  

Nas formações, padre Valdecir abordou o tema da Missão na Igreja, que acontece não somente em terras distantes, mas também na realidade local. “Muito mais do que ir fazer missão em outras terras, todo batizado é chamado a ser missionário, sendo discípulo de Jesus na realidade em que vive, na família, no ambiente de trabalho, de estudo e, especialmente, na sua comunidade. Essa vivência missionária aqui fortalece e anima tanto a missão lá na África, quanto a missão que a diocese de Ponta Grossa (PR) mantém em Lábrea (AM), abrançando-a como sua Igreja-irmã”, disse padre Valdecir. Durante as formações, o casal Pedro e Salete deram o testemunho sobre a experiência que viveram nos quatro anos de missão.

Padre Edemar afirmou que a visita foi muito positiva para sua paróquia, pois permitiu aprofundar sobre a missão da Igreja, refletindo e conhecendo melhor a missão que a Igreja do Paraná mantém na África, assim como a missão que a diocese de Ponta Grossa (PR) mantém em Lábrea (AM). “Nas formações, refletimos que a vocação missionária começa no Batismo e depois se fundamenta na vida da família, da comunidade e se expande também para uma missão ad gentes. Eu, como pároco, avalio muito positivamente. Foi um momento marcante para o nosso COMIPA, assim como para a animação das pastorais e lideranças na dimensão missionária da nossa Igreja. Fiquei muito feliz e estamos abertos para outros momentos como esse em nossa paróquia”, disse o pároco.   

Segundo o diácono Pedro, a visita foi uma grande bênção para a paróquia e suas 17 comunidades. “Com essa visita tivemos a oportunidade de conhecer um pouco mais a missão na África e, consequentemente, sobre a nossa Igreja missionária. A questão missionária é, realmente muito necessária, é o eixo principal entre todas as pastorais, movimentos e organismos. A partir de agora, vamos nos organizar para fazer acontecer aqui o tripé da missão, ou seja, fazer as pessoas rezarem pelos missionários e pela missão, contribuir generosamente com a missão e também buscar, entre nossos paroquianos, quem possa ir para a missão”, disse o diácono. 

Irmã Matilde, contou que faz um ano que o COMIPA foi formado na paróquia e que a visita missionária trouxe um novo ânimo para o trabalho que já vem sendo realizado. “A visita foi, para nós, uma chacoalhada missionária. A partilha do casal Pedro e Salete sobre a experiência missionária, enriqueceu muito a formação do padre Valdecir e reacendeu em nós a chama do dinamismo missionário e da necessidade de fazer missão dobrando os joelhos, colocando a mão no bolso e gastando a sola dos sapatos”, disse irmã Matilde.  

A religiosa, relatou que apenas duas, das 17 comunidades, não puderam se fazer presentes na formação. “Esses momentos despertaram em todos nós a consciência de que todos somos missionários pelo batismo e queremos dar continuidade, tornando a paróquia, cada vez, mais missionária”, disse ela. Para concretizar esse objetivo, na noite dessa terça-feira, 1 de agosto, as lideranças da paróquia se reuniram para discutir de que forma vão se comprometer e colaborar com a Missão São Paulo VI, na Guiné-Bissau.  

Realizar visitas de animação missionária nas paróquias das dioceses do Paraná faz parte do projeto missionário do COMIRE. Essas visitas têm por objetivo promover a Missão São Paulo VI, despertando a consciência missionária no povo paranaense e a corresponsabilidade pela manutenção da Missão em três âmbitos: da oração pela Missão, do envio de missionários e do sustento da Missão. 

(Karina de Carvalho – Assessora de Comunicação da CNBB Sul 2)

LITURGIA DIÁRIA

Últimos Posts