Na tarde dessa quarta-feira, 7 de fevereiro, aconteceu a primeira reunião com uma Comissão, convocada pelo Regional Sul 2 da CNBB, para refletir e colaborar na produção da Cartilha de Orientação Política 2024. A Comissão é composta por bispos, padres, leigos e leigas, peritos em várias áreas do conhecimento e da comunicação. Essa comissão terá a tarefa de acompanhar todas as etapas da produção do subsídio, desde a escolha dos temas e da capa, até a assessoria para os conteúdos e a revisão do texto e diagramação.    

A reunião aconteceu na modalidade on-line e foi conduzida pelo secretário executivo da CNBB Sul 2, padre Valdecir Badzinski. Participaram o arcebispo de Londrina e presidente do Regional Sul 2 da CNBB, dom Geremias Steinmetz; o bispo de Guarapuava e vice-presidente da CNBB Sul 2, dom Amilton Manoel da Silva; o bispo auxiliar de Curitiba, dom Reginei José Modolo; a jornalista da CNBB Sul 2, Karina de Carvalho; o professor Rogério Carlos Born; a professora Clélia Peretti; a economista, Ana Carolina Fernandes Alves; e o teólogo Augusto Luís Pinheiro Martins. A comissão conta também com a assessoria política e de comunicação da CNBB e outros peritos, que não puderam participar dessa primeira reunião.  

O objetivo da reunião, que durou cerca de uma hora, foi dialogar com essa equipe ampliada, apresentar a proposta da Cartilha, a fim de discernir os temas a serem abordados. A partir de agora, o texto começará a ser redigido, e a previsão é que até o final de maio a Cartilha esteja pronta.  

Dom Geremias afirmou que a Cartilha é uma importante contribuição da Igreja no campo da política. “Trata-se de um subsídio que está em comunhão com a Igreja e a CNBB, fiel ao princípio de orientar politicamente os cidadãos, sem tomar partido. É um dever da Igreja dar uma contribuição à sociedade brasileira, a fim de que as pessoas tenham critérios para fazer boas opções políticas e votar com consciência”, disse ele.    

O tema da esperança foi aprovado por todos os participantes para ser como o fio condutor da Cartilha, em sintonia com o tema do Jubileu 2025: “Peregrinos da esperança”. “O tema da esperança parece ser fundamental. Precisamos refletir sobre o que esperamos do amanhã. E quem pode construir esse amanhã, fazendo dele um mundo melhor, somos nós, sendo cidadãos melhores. Compromisso de sermos cidadãos e o compromisso de batizados: testemunhar no mundo de hoje o Evangelho. É um tema forte e provocador”, afirmou a professora universitária, Clélia. 

A Comissão também concordou com a necessidade de que o subsídio mantenha a espiritualidade cristã, a fim de que possa comunicar aos leitores que ser cristão e ser cidadão são duas realidades inseparáveis. Augusto recordou o número 545 do Compêndio da Doutrina Social da Igreja, no qual diz que “os fiéis leigos são chamados a cultivar uma autêntica espiritualidade laical, que os regenere como homens e mulheres novos, imersos no mistério de Deus e inseridos na sociedade, santos e santificadores”.      

Como nas edições anteriores, a Cartilha visa apresentar a política de uma forma simples e didática, a fim de ajudar os cidadãos a tomarem consciência da importância do compromisso com a democracia. Ela traz indicações básicas sobre o universo da política, reforçando aquilo que a política tem de positivo, nobre e essencial para a vida em sociedade.  

Histórico 

É uma tradição no Regional Sul 2 da CNBB a elaboração de cartilhas de orientação política nos anos de eleições. Segundo os arquivos do Regional, desde o ano de 2008, ininterruptamente, foram publicadas cartilhas nos anos eleitorais. Essa foi uma iniciativa que partiu do episcopado paranaense, após um longo debate e discernimento, durante uma assembleia que aconteceu em setembro de 2007. Eles foram motivados pelo documento 82 da CNBB: “Eleições 2006 – Orientações da CNBB”, no qual incentivava a elaboração de cartilhas em cada realidade. “As presentes orientações também poderão inspirar a elaboração de textos mais breves e cartilhas apropriadas às diversas realidades locais do Brasil”, dizia o texto de apresentação, assinado pelo Cardeal Dom Odilo Pedro Scherer, então Secretário-Geral da Conferência.    

Karina de Carvalho – Assessora de Comunicação da CNBB Sul 2

LITURGIA DIÁRIA

Últimos Posts