10 dioceses do Regional Sul 2 marcaram presença no evento 

Aconteceu em Aparecida (SP), nos dias 7 e 8 de setembro, o XVIII Encontro Nacional de Responsáveis Diocesanos Juvenis (RDJ). O evento, promovido pela Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude da CNBB, reuniu cerca de 400 participantes, dentre eles, 25 integrantes do Regional Sul 2. 

As dioceses de Ponta Grossa, Cornélio Procópio, Umuarama, Maringá, Jacarezinho, Guarapuava, São José dos Pinhais, Campo Mourão, Paranavaí, e Curitiba se uniram a outras dioceses de todo o Brasil neste encontro.  

A programação contou com plenárias com temas de realidades de Setores Juventudes e movimentos juvenis do país, desafios da evangelização e inspiração para novas perspectivas do cenário juvenil.  

O plano pastoral elaborado pela equipe nacional intitulado “Ao Seu Lado”, abriu o evento com a fala de Dom Vilsom Basso, atual presidente da comissão para a juventude do país. Em entrevista ao Regional Sul 2, o bispo diz que o objetivo do encontro é a unidade. 

“Fazer com que todos possamos caminhar juntos em uma mesma direção. A Igreja do Brasil, através da comissão da CNBB, traz o projeto (Ao Seu Lado) que tem a inspiração do magistério do Papa Francisco para os jovens. Temos muita esperança de poder continuar a missão de evangelizar as juventudes de nosso Brasil”, relatou o bispo. 

Para o coordenador da Pastoral Juvenil do Regional Sul 2, padre Kleber Pacheco, foi uma boa representação do Estado no evento. “Nos alegramos com a adesão das dioceses e participação dos paranaenses neste encontro nacional. Acompanhar de perto, entender a importância do processo de evangelização e da caminhada sinodal com a Igreja do Brasil reflete na caminhada dos nossos jovens, seja em qual for a expressão que este estiver inserido”, disse. 

ARQUIDIOCESE DE MARINGÁ APRESENTA BOA PRÁTICA 

Na programação do evento, o Setor Juventude da Arquidiocese de Maringá fez uma apresentação aos participantes sobre a experiência de evangelização que realiza com as 16 expressões juvenis presentes em seu território. A ação, relatada pelo padre Marcos Roberto Almeida dos Santos, atual assessor eclesiástico, faz parte de um projeto de retomada do trabalho com os jovens no pós-pandemia.  

“Juntos estamos construindo um itinerário de evangelização juvenil. Cada expressão juvenil tem um carisma, algo que é próprio da sua identidade. Nosso objetivo é identificar o que é específico deste movimento e inseri-lo em um itinerário de formação. Alguns estão no âmbito do despertar da fé, outros da caridade, outros de uma espiritualidade, outros ainda de uma pastoral paroquial, ou seja, queremos que cada uma delas encontre seu lugar dentro do itinerário de evangelização”, relata o padre. 

A reflexão que estamos fazendo na Arquidiocese também é ‘A quem compete iniciar o jovem na fé?’ Entendemos que quem inicia o jovem na fé e o ajuda a amadurecer no caminho do segmento a Cristo, é a comunidade. E nesta comunidade estão presentes as expressões juvenis. São os primeiros, mas não os únicos. Neste sentido, tem uma grande importância a comunidade eclesial ajudar o jovem a ser iniciado na fé cristã”, concluiu o assessor. 

Texto: Bárbara Gardin – Comunicação Pastoral Juvenil Regional Sul 2 
Fotos: Divulgação – Pastoral Juvenil Regional Sul 2

LITURGIA DIÁRIA

Últimos Posts