Os nove dias de visita às famílias do município de Rio Bonito do Iguaçu foram experiências marcantes segundo os jovens missionários. Para eles, além de aprendizado, a MDJ deixa legado do verdadeiro amor a Deus.

“Eu não tenho nem palavras para descrever quão maravilhoso foi passar esses nove dias de MDJ juntamente com vocês. Só tenho que agradecer a Deus por tudo e por ter conhecido vocês, pessoas excepcionais das quais eu carregarei sempre dentro do meu coração. Já estou com saudades e estarei sempre rezando por cada um. Amo vocês!”, estas foram as palavras usadas por Enzo Franchescolle, um dos Missionários que participou da Missão Diocesana Juvenil (MDJ) em Rio Bonito do Iguaçu para descrever o que sentiu durante os dias de trabalho em grupo.

Enzo mora em Altamira do Paraná, é a primeira vez que participa de uma Missão e destaca que o período em que passou juntamente com outros jovens visitando as casas e trocando experiências com as famílias foram de fundamental importância para seu crescimento pessoal e espiritual, com destaque para o louvor a Deus e agradecimento pela vida.

Os trabalhos da MDJ se encerraram ontem, domingo, 24, com uma das maiores celebrações já realizadas na Paróquia Santo Antonio de Pádua, em Rio Bonito do Iguaçu. No entanto, o espírito de Missão segundo os organizadores do evento continua pelos próximos dois anos quando outra comunidade será eleita para sediar a Missão.

Os trabalhos missionários tiveram início no sábado, dia 16 com a celebração de uma missa que lotou a igreja. Os missionários foram enviados para as comunidades e as visitas às casas dos moradores começaram em clima de muita alegria e partilha. Várias missas foram celebradas nas comunidades do interior e da cidade com o tema Missão sempre em evidência.

Ao todo, 160 jovens de diversas Paróquias e Comunidades da Diocese de Guarapuava fizeram parte da MDJ. Um total de 13 padres deu suporte aos trabalhos desenvolvidos, celebraram missas, ouviram confissões e deram aconselhamento espiritual. Os sacerdotes disseram considerar a MDJ um dos maiores momentos de alegria e manifestação do amor a Deus.

Em entrevista ao Centro Diocesano de Comunicação (CDC), O Padre Sebastião José Gulart, da Paróquia Santa Clara, em Candói, destacou que para ele, participar da MDJ foi motivo de grande alegria. Segundo contou, a receptividade das pessoas das comunidades visitadas foi algo impressionante e que merece ser aclamado. Ele também classificou como uma grande bênção a empolgação dos jovens missionários que foram de casa em casa falando do amor de Deus e da partilha sempre numa efusão de alegria.  “Nossos jovens sempre estiveram muito empolgados com este trabalho. Muitos participaram (da Missão) pela primeira vez e, com certeza, vão levar esta experiência para a vida toda. Eram 160 missionários. Em 13 padres, demos apoio e trabalhamos nas celebrações, ouvindo confissões e dando aconselhamento. Além disso, contamos com os serviços dos casais padrinhos que ofereceram aos missionários a melhor acolhida. A MDJ é um grande acontecimento para nossa Diocese”, comemorou Padre Sebastião.

Os missionários foram divididos em grupos e estes grupos, por sua vez, distribuídos em treze setores de trabalho. Três destes setores eram na cidade e os outros dez estavam distribuídos no interior do município. Depois dos trabalhos do dia, os missionários retornavam para os locais de apoio nas comunidades. Lá, eles faziam higiene pessoal, jantavam e repousavam para recomeçar as visitas no dia seguinte.

Itaciano Júnior Lepper Regente tem 19 anos, mora em Cândido de Abreu e esta foi a primeira vez que participou de um trabalho missionário. Segundo contou, a hospitalidade das pessoas foi fator marcante em Rio Bonito do Iguaçu. Ele também destacou a alegria com que foi acolhido junto a seu grupo de trabalho e nas casas das pessoas. “As pessoas nos receberam muito bem. Eu me senti muito abençoado por poder fazer parte deste trabalho de evangelização. Espero ajudar muito em outras tarefas da Igreja. Fiz muitas amizades que, tenho certeza, será para toda a vida”, contou.

Daniela de Souza, da Paróquia São Pedro e São Paulo, do Bairro Xarquinho, em Guarapuava, relatou que é momento de muita alegria e troca de experiências participar da MDJ. Ela também destaca a acolhida como um dos pontos principais da Missão. “É indescritível a alegria das pessoas ao nos receber. Esta alegria nos é passada também. Em muitas casas, ficamos um longo tempo e falamos de vários assuntos com os moradores. A cada residência que visitamos, aprendemos mais, sempre focados no amor de Deus”, relatou.

Com o lema “Fica Conosco Senhor”, retirado do Evangelho de Lucas, 24, a MDJ tem por objetivo transformar a vida das pessoas através da presença constante do Cristo renovado e multiplicado através da partilha da eucaristia.

A MDJ é um projeto que tanto quer despertar a juventude, como as Paróquias para que tenham um olhar mais apurado para as questões missionárias nas comunidades e no mundo. O envolvimento de jovens atuantes e determinados nas Paróquias de origem, segundo Padre Valdecir Badzinski, Pároco de Rio Bonito do Iguaçu e um dos organizadores do evento, é de suma importância, pois faz com que os trabalhos despertem nas pessoas seu verdadeiro significado que é a missão de servir a Deus ajudando ao próximo. Valdecir também sinaliza que a MDJ, que acontece a cada dois anos, faz surgir um despertar missionário nos adolescentes e jovens das comunidades e isto, segundo comenta, é resultado do verdadeiro fruto do amor e da perseverança.

A edição anterior da MDJ, que aconteceu no município de Nova Tebas, deixou um legado de amor e sabedoria não só para os missionários, mas também para os moradores das comunidades que receberam as visitas dos jovens de acordo com os organizadores. Em Rio Bonito do Iguaçu, os resultados não foram diferentes e há quem já esteja com saudade dos dias que passaram evangelizando. Valdemir Paulo Martins, de 15 anos, morador de Santa Maria do Oeste, destacou o amor sentido pelos amigos e missionários e classificou como “incrível” a experiência vivida. Segundo ele, os dias de convivência com as mais diferentes pessoas vão deixar muitas saudades. “É tão incrível esse amor que sentimos uns pelos outros. É como se nós já nos conhecêssemos. Deus faz tudo com um propósito e Ele queria que nos encontrássemos e formássemos esta família tão linda! DEUS é perfeito”, escreveu Valdemir na página da MDJ no Facebook.

Milhares de pessoas de várias partes da Região participaram da missa de encerramento da MDJ, um dos eventos classificados como dos mais belos, de acordo com os missionários e as equipes de organização.

Por: Jossan Karsten

LITURGIA DIÁRIA

Últimos Posts