O Papa Francisco acolheu nesta segunda-feira, 10 de junho, o pedido de renúncia apresentado por dom Sérgio Arthur Braschi e nomeou dom Bruno Elizeu Versari, atualmente bispo de Campo Mourão (PR), como bispo da diocese de Ponta Grossa, também no Estado do Paraná. Dom Bruno, desde abril deste ano é também presidente da Comissão Episcopal para a Vida e a Família da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). Os bispos do Paraná escreveram uma carta de agradecimento a dom Sergio e de saudação a dom Bruno.


AGRADECIMENTO A DOM SERGIO ARTHUR BRASCHI 

“Vida, Doçura e Esperança”.

Estimado irmão, Dom Sergio Arthur Braschi

Bispo emérito da diocese de Ponta Grossa (PR)  

Depois de celebrar vivamente os dois grandes jubileus da sua caminhada vocacional, ouro sacerdotal e prata episcopal, chegou o dia em que o Papa Francisco aceitou o seu pedido de renúncia. Afinal, o senhor chegou também ao jubileu de brilhante, 75 anos de vida. Hoje é, portanto, um Dia de Ação de Graças!

Assim como os jubileus, que marcam a história da Igreja, a sua vida, a cada 25 anos, marca o início de um novo tempo. Temos certeza de que o dom de Deus, tão vivo e criativo no seu existir, fará grandes coisas nesse período da emeritude, que agora se inicia. 

Em seu testemunho vocacional, o senhor contou que aos cinco anos de idade, disse a sua mãe que “tinha a sementinha da vocação de ser padre”. Essa sementinha tornou-se uma grande e frutuosa árvore que, para nossa alegria, brotou e frutificou aqui no Paraná, especialmente em Curitiba e Ponta Grossa. 

Obrigado, irmão, por tanto zelo e amor com que exerceu seu ministério presbiteral e episcopal. Somos testemunhas de que, em todas as funções que assumiu, como vigário, pároco, reitor de seminário, diretor espiritual, professor, bispo auxiliar e titular, presidente de comissão, referencial de pastorais etc, sempre deu o seu melhor e, mesmo que tivesse algum sacrifício, como um bom pastor manteve a firmeza, a ternura e a alegria, que lhe é tão própria. 

Neste agradecimento, não podemos deixar de mencionar sua paixão pela missão. Obrigado por todos os anos que cuidou e zelou por essa dimensão, não só aqui no Paraná, mas também em âmbito nacional e continental. O senhor é um bispo missionário entre nós e sabemos que continuará sendo.       

Que a benção e a proteção de Nossa Senhora, sua “vida, doçura e esperança”, continue a lhe conduzir e proteger nesse novo tempo e nessa nova missão, agora, como bispo emérito. Despedimo-nos em Cristo. 

Dom Geremias Steinmetz
Arcebispo de Londrina e Presidente da CNBB Sul 2

Dom Amilton Manoel da Silva
Bispo de Guarapuava e Vice-presidente da CNBB Sul 2

Dom Mário Spaki
Bispo de Paranavaí e secretário da CNBB Sul 2


 

SAUDAÇÃO AO NOVO BISPO DE PONTA GROSSA (PR)

 

“Ide, pois, e fazei discípulos todos os povos.” (Mt 28,19)

Estimado irmão, Dom Bruno Elizeu Versari. 

O episcopado paranaense acolhe com muita alegria, a notícia de sua nomeação para bispo da diocese de Ponta Grossa (PR). A missão que lhe foi confiada é grande e desafiadora, mas não estás sozinho, pois Jesus envia e promete: “Eis que estou convosco todos os dias, até o fim dos tempos” (Mt 28,20). Obrigado por seu sim generoso a esse novo chamado da Igreja, agora para pastorear o povo dessa grande diocese, que está perto de completar cem anos de criação.

Alegra-nos muito também o fato de que permanecerá no Paraná, mantendo-se membro do nosso colégio episcopal, caminhando conosco e continuando a contribuir com nossa Igreja.

Sua nomeação é resposta divina às preces do povo da diocese de Ponta Grossa, que rogava por um novo pastor para dar continuidade ao magnânimo trabalho realizado por dom Sergio Braschi, ao longo dos últimos 20 anos. 

O Papa Francisco disse que o bispo não pode ter todos os dons e carismas, mas é chamado a ter o dom da comunhão, a fim de manter unido o seu povo. “O Pastor reúne: bispo para seus fiéis, é cristão com seus fiéis. Não faz notícia nos jornais, não busca o consenso do mundo, não tem interesse em tutelar o seu bom nome, mas ama tecer a comunhão envolvendo-se em primeira pessoa e agindo com mansidão”.

Dom Bruno, desejamos que o Espírito Santo lhe conceda o dom de ser um pastor que busca a comunhão, em vista de fortalecer a Igreja Sinodal. Que Nossa Senhora, Mãe da Divina Graça, padroeira da diocese a vós confiada, o proteja e o acompanhe nessa nova missão.

 

Dom Geremias Steinmetz
Arcebispo de Londrina e Presidente da CNBB Sul 2

Dom Amilton Manoel da Silva
Bispo de Guarapuava e Vice-presidente da CNBB Sul 2

Dom Mário Spaki
Bispo de Paranavaí e secretário da CNBB Sul 2

 


Biografia e trajetória eclesial de Dom Bruno Elizeu

Dom Bruno Elizeu Versari nasceu no dia 30 de maio de 1959, na cidade de Cândido Mota (SP). Ainda na sua infância, a família migrou para o Paraná. No ano de 1980, marcado pelo testemunho de São João Paulo II, entrou no Seminário Propedêutico em Maringá. Estou Filosofia na Pontifícia Universidade Católica do Paraná, em Curitiba, e Teologia no Instituto Teológico Paulo VI, em Londrina, entre os anos 1984 e 1987. Foi ordenado presbítero em 3 de janeiro de 1988, na Paróquia Nossa Senhora do Rosário, na cidade de Floresta (PR).

No exercício do seu ministério presbiteral atuou como vigário; colaborou na formação dos seminaristas no Seminário de Filosofia Nossa Senhora da Glória, em Maringá; pároco; ecônomo arquidiocesano; vigário geral; membro do Colégio de Consultores e do Conselho de Presbíteros; e diretor da Rádio Colméia de Maringá.

Dom Bruno tem especialização em Educação Especial; pós-graduação em Teologia Bíblica, pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná, em Maringá, e em Teologia Bíblica – Novo Testamento, pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná, em Maringá.

No dia 19 de abril de 2017, foi nomeado bispo coadjutor da diocese de Campo Mourão. Recebeu a ordenação em 25 de junho do mesmo ano, tomando posse em 9 de julho de 2017. Meses depois, em 6 de dezembro de 2017, com a aceitação da renúncia de dom Francisco Javier ao governo pastoral de Campo Mourão, dom Bruno assumiu oficialmente a função de bispo diocesano.

Em 2019, foi escolhido pelo Conselho Permanente da CNBB membro da Comissão Episcopal Pastoral para a Vida e a Família. No período, colaborou na produção e revisão dos materiais produzidos pela Comissão, foi responsável pelo acompanhamento administrativo da Secretaria Nacional da Pastoral Familiar (Secren/CNPF) e aplicou na diocese o Itinerário Vivencial de Acompanhamento Personalizado para o Sacramento do Matrimônio sendo ele mesmo o catequista de dois casais de noivos.

Durante a 60ª Assembleia Geral, realizada em abril de 2024, foi eleito presidente da Comissão Episcopal para a Vida e a Família da CNBB.

 


Biografia e trajetória eclesial de Dom Sergio

Dom Sérgio Arthur Braschi nasceu em Curitiba no dia 3 de dezembro de 1948, segundo de sete filhos do casal Acyr Arthur e Maria Leopoldina Santanna Braschi. Bem cedo apareceram sinais de vocação ao sacerdócio no menino que ia, quase diariamente, rezar e treinar os dedos no piano da Igreja.

Cursou os primeiros anos do primário no Grupo Escolar “19 de Dezembro”, ingressando a 17 de fevereiro de 1959, no recém-inaugurado seminário menor São José, Colônia Nova Orleans. Aí terminou o primeiro grau e cursou o segundo grau, de formação clássica.

Passando ao seminário maior Rainha dos Apóstolos, de 1967 a 1969, cursou Filosofia na Pontifícia Universidade Católica do Paraná. Em setembro de 1969, partia para Roma para cursar Teologia na Pontifícia Universidade Gregoriana.

Conquistado o Bacharelado em teologia, voltou ao Brasil, iniciando um trabalho missionário no Nordeste – ainda seminarista – que se repetiria durante vários anos seguidos: já sacerdote, de 1973 a 1986, por 14 vezes nas dioceses de Mossoró (RN) e Cajazeiras (PB), ajudando nas paróquias e capelas do sertão.

Foi ordenado sacerdote a 8 de julho de 1973. Primeiramente foi vigário paroquial na paróquia Santa Teresinha do Menino Jesus (1973), chamado, em seguida, a longos anos de serviço às vocações sacerdotais: diretor espiritual e professor do seminário menor São José (1974-1978) e diretor arquidiocesano da Obra das Vocações, mais adiante reitor do mesmo seminário (1979-1981).

Em 1982, lhe foi confiada a formação de alunos filósofos e teólogos de várias dioceses, como reitor do seminário maior “Rainha dos Apóstolos”, que completava seus 25 anos de existência: nesta ocasião, recebeu o título de Cônego. Foi, também, por alguns anos, Presidente da OSIB – Sul II (Organização dos Seminários no Paraná), bem como continuava a integrar, desde os primeiros anos de padre, a Equipe Regional de Canto Pastoral, animando com cursos várias dioceses.

Em 1985, compôs a Equipe de Coordenação do Curso para Formadores de Seminários em Bogotá, Colômbia. Até meados de 1986, como reitor, fez parte do Conselho Presbiteral, como também do Colégio de Consultores da arquidiocese. Por longos anos (1980-1986), foi o celebrante oficial da missa dos domingos pela TV Paranaense Canal 12.

Em 1986, voltou ao Pontifício Colégio Pio Brasileiro – Roma, conseguindo seu Mestrado em Teologia Dogmática, com tese na área eclesiológica, na Pontifícia Universidade Gregoriana. Ao mesmo tempo, aprimorou os dotes musicais com o Curso de Música Religiosa na Scuola di Musica “Ludovico da Victoria”.

Quando preparava a tese de doutoramento, teve de voltar a Curitiba, passando a residir com sua Mãe, e assumindo como pároco a paróquia de São Judas Tadeu – Vila Hauer. De 1990 a 1996, construiu aconchegante santuário e lecionava Eclesiologia no Studium Theologicum de Curitiba, assumindo, de 1993 a 1996, a Coordenação Pastoral da Periferia Sul.

Nestes anos, voltou a integrar o Conselho Presbiteral, equipe de Coordenação Pastoral, Colégio de Consultores, Grupo de Teólogos do Sínodo da arquidiocese. Por cinco anos (1992-1996), foi diretor espiritual arquidiocesano do Apostolado da Oração. Em janeiro de 1997, foi chamado a ser pároco da catedral basílica de Nossa Senhora da Luz dos Pinhais.

Em 18 de fevereiro de 1998 foi nomeado bispo auxiliar de Curitiba pelo então São João Paulo II, e sagrado no dia 14 de abril de 1998 na igreja catedral de Curitiba. Seu lema é “Vida, Doçura e Esperança”, baseado na oração da “Salve, Rainha”. No dia 16 de julho de 2003, foi nomeado bispo diocesano de Ponta Grossa, tomando posse da mesma no dia 5 de setembro de 2003.

(Fonte: CNBB)

LITURGIA DIÁRIA

Últimos Posts