O Regional Sul 2 da CNBB foi representado pela participação do bispo referencial e do casal coordenador  

Entre os dias 5 e 7 de julho, representantes de movimentos eclesiais, coordenadores regionais, nacionais, bispos, padres e assessores da Pastoral Familiar de todo o país estiveram reunidos em Brasília (DF), para a sua 48ª Assembleia Nacional. Foram momentos de troca de experiências e de avaliação das ações até o momento. 

“Foi uma oportunidade de olhar para frente e escolher o caminho que vamos percorrer. Foi muito gratificante encontrar com os coordenadores dos regionais e foi uma oportunidade de refletir sobre a atuação da Pastoral Familiar lá nas comunidades e como podemos cooperar no cotidiano das paróquias e junto às famílias”, afirmou o bispo nomeado de Ponta Grossa (PR) e presidente da Comissão Episcopal para a Vida e a Família da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), dom Bruno Elizeu Versari. 

Após a abertura, realizada na noite de sexta-feira (5), na manhã de sábado (6), os participantes puderam aprender um pouco mais sobre a afetividade e a sexualidade na perspectiva da adolescência e da juventude. A condução do momento foi feita pela diretora do TeenStar Brasil, Fabiana Azambuja. Ela provocou uma reflexão sobre o panorama da realidade, na qual as novas gerações estão caracterizadas pela ausência de paradigmas, um novo sistema de relações, múltiplas ofertas e ausência de limites. 

Com uma metodologia participativa, a assessora dividiu os membros da assembleia em grupos para refletir e apontar situações e desafios da crise educativa atual com as novas gerações. Essa dinâmica também foi utilizada na manhã deste sábado, quando tratou do ambiente digital. “A pessoa que utiliza o digital precisa ser sábia. Não é para imitar o que eles fazem, é criar e aprimorar a partir do que temos. Além disso, é preciso de prudência e acompanhamento dos pais e professores das crianças e jovens no contato com o mundo digital”, apontou a especialista. 

No período da tarde, foi o momento de apresentar os trabalhos realizados desde a última assembleia e as experiências de aplicação dos materiais propostos pela Comissão Nacional. O destaque foi a partilha do Regional Sul 3 (Rio Grande do Sul), que trouxe a experiência do atendimento às famílias durante as fortes chuvas que afetaram o estado nos últimos meses. O casal coordenador, Júlio Cezar e Ana Lory Quintana, e o padre Edson Oliveira, falaram sobre o socorro, o acolhimento e consolo às vítimas. 

Envio 

No domingo, foi celebrada a Santa Missa, presidida por dom Bruno Elizeu Versari. Na ocasião, cada regional recebeu um kit – composto por uma vela, um símbolo e uma cartilha – para marcar a celebração do Jubileu pelas Famílias. 

O casal coordenador nacional da Pastoral Familiar, Alisson e Solange Schila, motivou os leigos, padres, bispos e religiosos para que continuem na complementariedade de vocações. “Deixemos nosso testemunho em pequenas marcas por onde passarmos. Que através da ação do Espírito Santo, que teve uma presença marcante nesta assembleia, possamos dar passos firmes na evangelização das famílias no Brasil”, apontou Solange. 

 Participação do Paraná 

Representando o Regional Sul 2 da CNBB (Paraná), participaram o bispo de Apucarana e referencial para a Pastoral Familiar do Paraná, dom Carlos José de Oliveira, e o casal coordenador regional Cloves e Milene Angeleli, da diocese de Toledo.  

“Um momento muito bonito com a presença de casais de todos regionais, assessores, alguns bispos. Refletimos sobre a caminhada da Pastoral Familiar e recebemos o ícone da família, por ocasião do Ano Santo Jubilar de 2025, pensando no jubileu das famílias. Momento ímpar de partilha, de avaliação e de planejamento das ações da Pastoral Familiar em todos os regionais do nosso imenso Brasil”, disse dom Carlos.  

A Pastoral Familiar também conta com a representação de várias pessoas do Paraná na coordenação nacional. A começar pelo presidente da comissão episcopal, dom Bruno Elizeu Versari; o assessor padre Rodolfo Chagas Pinho, da diocese de Jacarezinho (PR); o diácono Paulo e sua esposa Carmem, da diocese de Foz do Iguaçu(PR), que compõem a comissão nacional na dimensão do pré-matrimônio; e Jeandre e Suelem, da arquidiocese de Cascavel, que representam o serviço à vida, tanto em âmbito nacional como regional.  


Encontro Nacional de Bispos Referenciais e Assessores Eclesiásticos da Pastoral Familiar

Dois dias antes da Assembleia, aconteceu o Encontro Nacional de Bispos Referenciais e Assessores Eclesiásticos da Pastoral Familiar, de 3 a 5 de julho. O grupo aprofundou temáticas relacionadas ao acompanhamento do trabalho pastoral junto às famílias. O arcebispo de Santa Maria (RS) e presidente da Comissão para a Animação Bíblico-Catequética da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), dom Leomar Antônio Brustolin, conduziu as reflexões sobre a evangelização no contexto atual. Dom Leomar falou sobre a vivência da fé num mundo que se transforma e, em seguida, sobre a transmissão da fé em tempos de pluralidade. Ao final de duas exposições, dom Leomar abriu a palavra para ouvir as impressões dos participantes, que puderam partilhar de situações que chamam sua atenção e preocupam no trabalho junto às famílias.

Bispos, padres e assessores da Pastoral Familiar do Paraná

Sobre esse encontro, dom Carlos José afirmou: “Dom Leomar trabalhou a questão das Nova Diretrizes da Ação Evangelizadora e da inserção da PAstoral Familiar nessas novas diretrizes, que aguardamos para o próximo ano. Dom Leomar foi muito feliz em suas colocações, retomando a necessidade da Pastoral Familiar estar inserida nas diretrizes nacionais, especialmente na questão da Iniciação à Vida Cristã na vivência do Espírito da Amoris Laetitia, do Papa Francisco. Foi uma semana muito frutuosa para os bispos e padres assessores”.

Com informações do Portal Vida e Família

 

 

LITURGIA DIÁRIA

Últimos Posts