quarta-feira, 21 fevereiro 2024

Tetemunho – Milagre maior

Num domingo depois da missa das 8h vieram dois paroquianos e me disseram: “Padre, agora é a sua vez. Já visitamos uma senhora doente com câncer e não sabemos o que fazer. Ela está muito mal. Ela é da Igreja Presbiteriana”. Eu respondi: “Não consigo visitar todos os doentes da paróquia”. Mas eles insistiram e eu os acompanhei.
Ela tinha 55 anos, era professora e morava no centro da cidade. Desejava voltar o quanto antes ao trabalho, na escola. Ela repetia várias vezes: Em nome de Senhor…
Depois de escutá-la por meio hora, eu a disse que curar era fácil para Jesus, mas talvez Ele queria fazer um milagre maior. Com olhos mais arregalados, ela escutou, surpresa. Falei que o testemunho da doença, vivida com gratidão e também alegria, podia realizar o maior milagre, pois assim ela daria Jesus a muitas pessoas que a visitavam. Em seguida, falei para ela sobre Jesus crucificado e abandonado.

Ao sair, ela disse: nenhum pastor falou tão bonito sobre Jesus!

Então, combinamos de dar a vida para Jesus em cada pessoa e não se preocupar somente com a sua doença e morte.
Depois de quase um mês voltei. Ela estava bem esperta e afirmou: Jesus vai curar. Escutei a ela e depois se fez silêncio.
Após alguns minutos lembrei a ela o que era ainda mais importante. É mesmo, disse ela, e se recompôs. Ao se sentir melhor podia continuar o milagre maior: dar Jesus às pessoas.

Depois de algumas semanas ela veio a falecer. Ajudei na celebração de despedida junto com três pastores.

Padre André Heijligers