quinta-feira, 22 fevereiro 2024

Testemunho – Somos a família que Deus escolheu para Ele!

familiaÉ hora de almoço em nossa casa. Um choro insistente interrompe a conversa. Levantamo-nos para ver de onde vem. Saindo à porta, percebemos que, a poucos metros de distância, algumas pessoas se ajuntaram. Fomos até lá. Do meio alguém fala: ‘Olhem é um menino!’.

Uma criança de cerca um mês de idade foi abandonada na calçada, quase sem roupa e com rostinho de desnutrição. Entre os presentes surgem mil ideias para resolver o caso. Mas não é tão simples e ninguém tem coragem de assumir. ‘Vamos ficar com ele, mamãe’, disse-me minha filha. Com o gesto de aprovação de meu marido, peguei-o em meus braços e levei-o para nossa casa. Depois de alimentá-lo e vesti-lo com as roupas que eu tinha do meu filho mais novo, coloquei-o para dormir. ‘O que fazer com o menino?’ ‘Quem poderia ficar com ele?’ Eu disse: ‘José, sei que não temos condição, pois já é difícil manter nossos filhos, mas, enquanto não se recuperar, não podemos abandoná-lo’. Ele respondeu que estava pensando a mesma coisa. Nesse meio tempo, as famílias ao redor enviavam muita ajuda.

Escolheram um nome para o menino: Renato. Lembram-se sempre daquela frase: ‘Quem acolher um desses pequeninos, acolhe a mim’. Depois de alguns meses se perguntam: ‘E agora? É impossível pensar em nos separar dele, pois todos o amam’. E José expressa o que passa no seu íntimo: ‘Por que não ficamos com o menino? Tenho certeza de que Deus nos ajudará. Até posso fazer horas extras para ajudar nas despesas. O que vocês acham?’. ‘Sim, papai’ – exclamam as três crianças. ‘Renato é nosso irmãozinho caçula’. ‘Renato é membro de nossa família e nós a família que Deus escolheu para ele’. Encaminharam, então, o processo legal de adoção e foram bem sucedidos.

[divider]

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.