DSC_0268De 18 a 22 de julho aconteceu no Instituto São Vicente – Lagoa da Cruz dos Salesianos em Campo Grande (MS), o encontro anual dos Secretários Executivos da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil com o objetivo de fortalecer a comunhão nesse âmbito de Igreja e conhecerem a realidade local.

A Igreja Católica no Brasil conta com mais de 110 mil comunidades, organizada em mais de 12 mil paróquias, 276 dioceses e 19 regionais. Cada regional tem a sua sede própria e um secretário executivo. Anualmente os secretários executivos se reúnem em um dos regionais do Brasil para estreitar laços de comunhão e cooperação, dialogar sobre as atividades que vêm sendo desenvolvidas nos vários âmbitos da Igreja e também partilhar a vida e os desafios. Dom Leonardo Steiner, Secretário Geral da CNBB, enfatizou, no início do encontro, a importância desta comunhão vivida entre os Regionais da CNBB.

A realidade da Igreja do Oeste 1, estado do Mato Grosso do Sul, foi apresentada por cinco coordenadores da Ação Evangelizadora das sete dioceses que compõem o Regional. Eles destacaram a beleza da Igreja sulmatogrossense com sua variedade de ministérios e serviços, os desafios das distâncias, a evangelização dos povos indígenas e dos conflitos referentes à terra, o número escasso de vocacionados, entre outros.

Os organizadores do encontro anual dos secretários haviam previsto a visita a algumas aldeias dos Indígenas Terena, no município de Miranda. Os Terena são numerosos em todo o Estado, sendo mais de dez mil somente na Diocese de Jardim, onde as aldeias foram visitadas.

IMG-20160721-WA0037Na quarta-feira, 20, todos os Secretários Executivos, acompanhados por Mons. Antônio Luiz Catelan Ferreira e Dom João Gilberto de Moura, foram acolhidos na Aldeia Babaçu – Comunidade Nossa Senhora Imaculada Conceição, por caciques, pajés e lideranças de doze aldeias. Cerca de sessenta pessoas estiveram presentes.

Os caciques reuniram-se previamente entre eles para preparar a sua exposição e três deles ressaltaram alguns pontos que mais lhes são sensíveis no momento: o esforço que estão realizando nas aldeias para o resgate e preservação da cultura indígena, como também a consolidação da identidade indígena por meio das línguas maternas, danças e ritos; a luta para garantir que as leis institucionais de demarcação de terras sejam cumpridas; quanto à relação da Igreja com as aldeias eles pediram uma maior presença católica, muito apreciada por eles; pediram que na medida do possível os padres façam visitas nas casas para conhecer a realidade e mergulhar mais na cultura indígena; a precariedade do atendimento à saúde e o problema que têm enfrentado com bebida e a droga nas comunidades, entre outros. Depois da exposição dos caciques, os secretários puderam falar e estabeleceu-se um diálogo aberto e imensamente enriquecedor para conhecimento recíproco entre a Igreja e a realidade indígena.

No final do encontro, Dom João Gilberto de Moura, classificou o dia vivido coo histórico: “Somos a Igreja viva, a Igreja comunhão. Houve liberdade para exposição das reflexões. Muito do que foi dito nesta tarde ajudará a melhorar o nosso trabalho na Diocese de Jardim, no Regional Oeste 1 e também na Igreja do Brasil, devido a presença dos Secretários Executivos”. Dom João lembrou que este foi o maior encontro realizado entre a Igreja e os Povos Terena.

Os secretários ainda tiveram ocasião de visitar no dia seguinte as belezas naturais do município de Bonito num dia de passeio e convivência. O próximo encontro anual dos secretários executivos, em 2017, acontecerá no Regional do Rio de Janeiro.

LITURGIA DIÁRIA

Últimos Posts