Na manhã desta terça-feira, 8 de junho, a Pastoral Indígena e Indigenista do Paraná realizou uma reunião on-line, a fim de realizar um mapeamento das comunidades indígenas no estado do Paraná e as suas reais necessidades, neste tempo de pandemia. Participaram da reunião, o arcebispo de Londrina e presidente do Regional Sul 2 da CNBB, Dom Geremias Steinmetz; o bispo de Palmas-Francisco Beltrão e referencial para a Pastoral Indígena e Indigenista no Paraná, Dom Edgar Xavier Ertl; o secretário executivo do Regional Sul 2 da CNBB, Pe. Valdecir Badzinski; o coordenador do Conselho Indigenista Missionário (CIMI) Sul, Roberto Liebgott; e representantes das Arqui/Dioceses e paróquias do Paraná, nas quais há a presença de comunidades indígenas em seu território. O arcebispo de Porto Velho (RO) e presidente do Conselho Indigenista Missionário (CIMI), Dom Roque Paloschi, fez uma breve participação no início da reunião dando uma palavra de incentivo e apoio aos trabalhos.  

Pe. Valdecir Badzinski fez a abertura da reunião e acolhida dos participantes e passou a palavra a Dom Geremias, que agradeceu a participação de todos e comentou sobre a preocupação da Igreja com a Pastoral Indígena e Indigenista no Paraná, dada a necessidade de uma reorganização e de novos rumos, a fim de que os irmãos indígenas possam ser melhor assistidos. 

Na sequência, Dom Edgar deu início aos trabalhos da pauta, que teve por principal objetivo mapear as problemáticas das comunidades indígenas no Paraná. Dom Edgar explicou que esse mapeamento dará um norte para uma nova coordenação da Pastoral, de uma maneira sinodal, construindo uma coordenação com consciência do trabalho a ser desenvolvido. Em seguida, Dom Edgar motivou os participantes a apresentarem as problemáticas e os desafios das suas paróquias em relação às comunidades indígenas, reconhecendo que a diversidade presente nelas é grande. 

O encontro desenvolveu-se das 8h30 até às 10h40, com a maior parte do tempo dedicado à partilha das dioceses e paróquias sobre as problemáticas de cada comunidade indígena. A pauta da reunião ainda continha mais dois itens: a partilha das ações pastorais que já estão sendo realizadas e os encaminhamentos da Pastoral Indígena em nível regional, mas, devido ao tempo, esses assuntos serão abordados na próxima reunião, marcada para o dia 17 de julho.  

Segundo o Padre Valdecir Badzinski, essa reunião foi de grande importância, pois neste tempo de pandemia, todas as fragilidades enfrentadas pela sociedade, em geral, são ainda mais graves dentro das comunidades indígenas. “Mapear as principais problemáticas nas comunidades indígenas do Paraná é necessário para que possamos elaborar planos de assistência espiritual e material para atender e amenizar o impacto que a pandemia está gerando nessas comunidades”, afirmou Pe. Valdecir.   

Dom Geremias Steinmetz concluiu a reunião, agradecendo a participação e a partilha de todos e afirmou o anseio dos bispos de que a Pastoral Indígena e Indigenista no Paraná possa cumprir bem a sua missão. “Saímos desse encontro com muitas luzes para seguir em frente”, concluiu Dom Geremias.  

(Karina de Carvalho – Assessora de Comunicação da CNBB Sul 2)

LITURGIA DIÁRIA

Últimos Posts