Nos dias 1º e 2 de agosto de 2015, em Pitanga, Diocese de Guarapuava, acontecerá a segunda etapa do 1º curso de formação das Pastorais Sociais do Regional Sul 2 da CNBB.

A primeira etapa do curso, que recebeu o nome de Dom João Alves dos Santos, ocorreu nos dias 16 e 17 deste mês de maio. Dom João, bispo de Paranaguá, falecido esse ano, acompanhava a Pastoral Afro Nacional, e também fazia parte dos bispos que acompanhavam as Pastorais Sociais no Regional.

De acordo com Jardel Lopes, coordenador regional das Pastorais Sociais, esse curso foi sonhado no 7º Encontro Regional das Pastorais Sociais em 2014, na Diocese de Paranaguá, no encontro que reuniu mais de 100 participantes, representantes das Pastorais Sociais do Regional.

Preparado por uma equipe da Coordenação Regional, em parceria com o Curso de Teologia da PUCPR, instituição que certificará o curso, e a Comissão para o Serviço da Caridade, Justiça e Paz, da CNBB Nacional, o curso tem por objetivo proporcionar a formação de agentes de pastorais sociais do Regional Sul 2 da CNBB a partir dos princípios da Doutrina Social da Igreja, da história das pastorais sociais, sua perspectiva teológica e missionária para uma ação organizada eficaz e sustentável de evangelização.

Segundo Jardel a 1ª etapa iniciou com a participação de 55 representantes das Pastorais e Organismos das dioceses do regional. O tema foi missão social da Igreja e a identidade das Pastorais Sociais. “O curso iniciou com uma mística a partir da música Eu so peço a Deus (Mercedes Sosa), na qual os participantes trouxeram a reflexão ‘a que não sou indiferente a partir da minha pastoral’.  Com isso tivemos um grande cenário da realidade das pastorais sociais do regional, pois traziam na oração a própria vida e missão nesse chão. Em seguida Luiz Fernando Rodrigues, membro da diretoria do Sindicato dos Professores do Paraná e ex-coordenador regional da Pastoral da juventude, conduziu a análise de conjuntura social e política, com ênfase no Paraná. O assessor trouxe imagens e vídeos das últimas manifestações dos professores e a violência do Estado. Esse primeiro momento viu-se o chão das pastorais sociais, as galileias das Pastorais, e as correlações de forças políticas que geram omissão, pobreza e violência”, contou Jardel.

Ainda sobre a primeira etapa, Jardel informou que o professor Ernesto Sienna (PUCPR), falou sobre a Doutrina Social da Igreja (DSI) como fundamento da atuação das Pastorais Sociais, destacando a trajetória histórica que constrói a DSI. “Eu e Amauri Mossmann (Secretario executivo da Caritas Paraná) trabalhamos a missão e identidade das Pastorais Sociais a partir das perguntas: o que é pastoral social? Quais as pastorais sociais? O que não é pastoral social?  Essa reflexão ajudou a ver um breve diagnóstico da compreensão sobre as pastorais sociais, sobretudo enquanto pastoral de conjunto, que atua no conflito, com uma proposta libertadora e não assistencialista. O filme Anel de Tucum foi a programação da noite. No dia seguinte continuou-se a temática a partir do livro ‘A missão da pastoral social’, com estudos sobre: a missão, a pessoa do agente e atuação da pastoral social”, revelou Jardel. O curso terminou com um compromisso dos participantes com as próximas etapas que ainda resta a partir da mística e simbologia do anel de tucum, que nos compromete com a causa do evangelho e nos faz pastoral de conjunto.

Até a próxima etapa, que será nos dias 1 e 2 de agosto, os participantes têm a tarefa de mapear as pastorais sociais da sua diocese e identificar as atividades desenvolvidas por cada pastoral, na sequencia preparar apresentação sobre a história, missão e identidade da sua pastoral específica, dioceses que está presente no regional e atividades.

Na próxima etapa será trabalhada a “dimensão teológica da pastoral social”.  Maiores informações: [email protected] ou 41 9843 2459.

LITURGIA DIÁRIA

Últimos Posts