Agentes da Pastoral da Aids da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) de 20 estados do Brasil, participaram do VIII Seminário Nacional de Incidência Política, realizado de 03 a 05 de agosto, em Porto Alegre (RS).

O evento que contou com apoio do Departamento de Vigilância, Prevenção e Controle das IST, HIV/Aids e Hepatites Virais do Ministério da Saúde, debateu com ajuda de pesquisadores, intelectuais e militantes, sobre o atual momento pelo qual passa a sociedade brasileira. Estiveram presentes representantes da pastoral dos 18 regionais da CNBB.

“Queremos compartilhar com nossos irmãos e irmãs de fé, com os membros de outras comunidades religiosas, com os participantes dos movimentos sociais e com todos os que defendem uma sociedade justa, igualitária e inclusiva, nossas preocupações e compromissos, conscientes de que o tempo presente é tempo de resistência”, destaca a carta de Porto Alegre 2018, assinada pelos participantes do seminário.

O documento destaca ainda que as conquistas históricas que beneficiam as populações secularmente excluídas estão em franco retrocesso. Diante dessa realidade o texto propõe algumas ações como:

– continuar aprofundando nossa participação nos espaços de controle social das políticas públicas, buscando ampliar o conhecimento e as parcerias para a manutenção das conquistas e impedir o retrocesso;

– participar do processo de construção da XVI Conferência Nacional de Saúde de 2019, em âmbito municipal, estadual e federal, defendendo o SUS com todos os seus princípios e componentes, impedindo que os interesses econômicos se sobreponham ao direito humano à saúde e evitando o desmonte do SUS;

– participar ativamente das eleições 2018, evitando abstenção ou voto em branco ou nulo, fazendo bom uso deste instrumento democrático que é a eleição; debater e conhecer as propostas dos partidos e dos candidatos, votando e apoiando aqueles que se comprometem com a defesa da justiça social e divulgando meios que possam ajudar na seleção de partidos e candidatos (ex.: www.politicos.org.br);

– reforçar a participação em espaços eclesiais, em comunhão com nossos pastores e com outras pastorais, efetivando uma igreja em saída, como propõe o Papa Francisco, colaborando na efetivação da VI Semana Social, no Grito dos Excluídos e na Campanha da Fraternidade que, em 2019, debaterá o tema “Fraternidade e Políticas Públicas”, aproveitando a experiência acumulada nestes anos de caminhada da Pastoral da Aids.

Na carta, o grupo reafirma o trabalho em parceria e colaboração Departamento de Vigilância, Prevenção e Controle das IST, do HIV/Aids e das Hepatites Virais, do Ministério da Saúde insistindo que: “é necessário o engajamento do Departamento para garantir as conquistas e evitar retrocessos”.

E finaliza do documento, com um verso do poema de Zé Vicente que manifesta o compromisso em manter acesa a chama e espalhar essa esperança para todos aqueles e aquelas que desejam uma sociedade justa e democrática. “haveremos de ver qualquer dia chegando a vitória, o povo na rua fazendo a história, crianças sorrindo em cada nação”.

Para ler a carta na íntegra: 20180817 – Carta de Porto Alegre 2018

(Fonte: CNBB Nacional)

LITURGIA DIÁRIA

Últimos Posts