Testemunho de Dom Sergio Arthur Braschi, (Bispo referencial para a dimensão missionária do Sul 2)

Inicialmente a cada quatro anos, e a partir do COMLA7-CAM2 (Guatemala) a cada cinco anos, se reúne a Igreja de todo o continente americano para renovar-se no entusiasmo da missão “ad gentes”. Assim, após o CAM4 – realizado em Maracaibo (Venezuela) no ano de 2013 – pudemos participar do CAM5 em Santa Cruz de La Sierra, Bolívia, de 10 a 14 de julho deste ano. Dentro da numerosa delegação de brasileiros, o Paraná foi representado por 11 missionários (as), das quatro Províncias Eclesiásticas.

A grande tônica que me marcou neste Congresso Missionário foi o aprofundar da necessidade de “sair”, da Igreja em saída, a partir da Exortação Evangelii Gaudium do Papa Francisco. Na própria oração do V CAM se suplicava que a misericórdia do Pai apagasse em nós “la tristeza egoísta que brota de un corazón cómodo y avaro, de una vida enfermiza de caprichos y de la conciencia cerrada a los demás’ , inundando a Igreja “com a doce e confortadora alegria de evangelizar”, fecundando-a com novos filhos na força renovadora do Espírito Santo.

Essa consciência missionária transpareceu no entusiasmo com que se repetia o lema América em Missão, o Evangelho é alegria! Aclamado e cantado, refletiu-se depois tanto nas cinco Conferências dos Bispos e Padres convidados (parte da manhã), como nas Oficinas, Sub-Assembléias e Conversatórios (parte da tarde), onde se aprofundou a temática e os testemunhos. Como uma moldura geral, resplandecia a grande Cruz de madeira, réplica da que se encontra da Praça Principal das Missões de São Xavier, na localidade boliviana dos índios Chiquitos, evangelizados há 300 anos. Na Cruz Missionária estava incrustada a relíquia da Beata Nazária Ignácia, primeira religiosa a fundar uma congregação de Irmãs na Bolívia. Um exemplar dessa Cruz de 2 metros de altura fôra benta pelo Papa Francisco e enviada previamente a todas as Conferências Episcopais da América, e peregrinou pelo continente na preparação do Congresso.

O ponto alto do V CAM foi a participação noturna nas Paróquias hospedeiras, onde houve Missas, confraternizações, noite cultural e, no sábado pela manhã, a missão de casa em casa. A presença do legado papal, o Cardeal Fernando Filoni, da Congregação para a Evangelização dos Povos (Roma), abrilhantou a solene Missa de Abertura.

A conclusão do V CAM foi presidida pelo Arcebispo de Santa Cruz, Monsenhor Sergio Gualberti, numa grande praça em rotatória chamada “El Cristo”, por contar com uma grande imagem do Redentor. Nessa ocasião, para alegria geral, anunciou-se o local do próximo VI CAM, a realizar-se em 2023 na ilha de Porto Rico.

Voltamos ao nosso Paraná cheios da “alegria do Evangelho”, e na certeza de que a Fé, que um dia recebemos, só crescerá quando conpartilhada. É o que estamos fazendo, não só em nossas comunidades e dioceses, mas com a Missão africana em Quebo.

Confira algumas fotos: 

LITURGIA DIÁRIA

Últimos Posts