Testemunho – Jantei com um santo

Era sexta-feira Santa do ano 1999. Tive a honra de ser o motorista que conduziu o Cardeal Van Thuan de Grottaferrata até sua residência no Trastevere, em Roma.

Ao chegar, ele me pediu para ajudá-lo levar a sua mala até o primeiro andar do prédio, onde ele residia. Levei. Entrei. Deparei-me com um apartamento humilde. Ele, então, disse-me: quis que você trouxesse a mala, pois vou preparar um jantar vietnamita (ele era do Vietnam) para nós dois, mesmo que seja sexta-feira santa. Ele foi para o fogão e eu preparei a mesa. Coloquei a toalha, os pratos e os talheres com bastante cuidado. Jantamos juntos. Conversamos sobre a vida do Evangelho. Foi tão marcante aquele momento que eu lembro como se fosse ontem a noite. No final, ele presenteou-me um livro escrito nos anos em que esteve preso,  encarcerado unicamente por ser cristão.

Voltei para casa tarde da noite, feliz, exultando, cantarolando. Passei pela Via Appia: eu estava tão feliz que parecia experimentar a alegria dos cristãos que percorriam outrora aquele estrada.

Aquela viagem, aquele jantar, as palavras, os olhares do Van Thuan, tudo isso guardo como tesouro precioso. Hoje, a noticia da sua beatificação foi demais de bonito. Doravante poderei, poderemos invocá-lo como intercessor.

(Pe. Mário Spaki)