Bispos recém nomeados pelo papa participam de encontro de apresentação na CNBB

Presidente da CNBB, cardeal Sergio da Rocha, acolhe os 12 novos prelados do episcopado brasileiro (Foto: Assessoria de Comunicação CNBB)

Desde segunda-feira (06),  até o dia 10 de agosto, doze novos Bispos recém-nomeados pelo papa Francisco estão reunidos na sede da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), em Brasília (DF), para participar do 29º Encontro para Novos Bispos promovido pela Comissão Episcopal Pastoral para os Ministérios Ordenados e a Vida Consagrada da CNBB.

Os novos membros do episcopado da Igreja no Brasil foram nomeados desde agosto do ano passado. Durante a semana os novos bispos terão contato com temas pertinentes ao ministério episcopal como, por exemplo, a liturgia no mistério, a questão do Direito Canônico, a partilha que deve existir entre as dioceses e outros assuntos de cunho relevante.

Na agenda, além das palestras, os recém-nomeados vão conhecer o Centro Cultural Missionário (CCM), as Pontifícias Obras Missionárias (POM) e também o Congresso Nacional. Além uma visita à Nunciatura Apostólica, onde os novos bispos vão encontrar com o Núncio Apostólico no Brasil, dom Giovanni D’Aniello.

Entre os doze novos bispos está Dom Mário Spaki, bispo de Paranavaí (PR), que foi nomeado em 25 de abril e tomou posse na diocese no dia 08 de julho. Em entrevista ao portal da CNBB, Dom Mário contou:

“Eu fui chamado pelo papa Francisco para ser bispo diocesano de Paranavaí, no próprio estado do Paraná onde eu estava trabalhando nos últimos sete anos como secretário-executivo do regional Sul 2 da CNBB. Para mim foi uma grande alegria! Sinceramente foi uma surpresa, eu não estava esperando esse chamado e me coloquei nas mãos da Igreja com disponibilidade porque sei que quando a Igreja pede alguma coisa para nós ela antes fez uma pesquisa, averiguou se é o caso ou não para pedir, então vindo do papa Francisco eu me joguei, eu me lancei nesta nova missão que já assumi na diocese de Paranavaí no dia 08 de julho com a posse canônica, portanto, já está completando um mês de presença lá na diocese de Paranavaí. 

Dom Mário Spaki é o primeiro da esquerda para a direita

Antes dos desafios eu quero dizer das alegrias, porque já no dia da posse eu me senti super acolhido pela comunidade católica, vieram mais de 4 mil pessoas no dia da posse, um calor humano muito grande, o povo muito junto com o bispo. No primeiro momento eu me senti muito acolhido e, claro que, já estando na diocese eu já fui percebendo os desafios e olha que lá é uma diocese relativamente pequena, então os desafios também são menores: como evangelizar? como chegar até as famílias? como chegar até as pessoas pelos meios de comunicação? como alcançar a juventude?

Então, nós vamos fazer ponto por ponto, mas nós vamos dar uma resposta não individualmente, mas vamos montando comissões que vão dialogando, que vão aprofundando, e assim, a gente vai numa forma sinodal, de comunhão encontrando as respostas. Eu disse para os padres já desde o primeiro momento que nós vamos caminhar juntos e, se por acaso, nós lá na frente descobrirmos que erramos o percurso nós voltamos, porque nós fomos juntos e então nós devemos voltar juntos para tomarmos outra direção”.

Acolhida do presidente da CNBB

O presidente da CNBB, Cardeal Sérgio da Rocha, em sua acolhida aos novos membros do episcopado brasileiro, ressaltou a importância da unidade e da participação de todos para exercer bem seu ministério episcopal. “É muito importante para o Bispo caminhar unido aos outros bispos, participando da Conferência Episcopal, e estar próximo do seu clero e do seu povo, visitando as suas comunidades”, disse.

O cardeal também ressaltou, em sua fala, à luz do Direito Canônico, a importância da visita pastoral dos bispos às suas comunidades e paróquias como presença animadora do caráter pastoral e como estímulo à uma Igreja de Comunhão e Partilha. O prelado defende que a presença dos pastores junto ao seu povo é um grande estímulo à vida comunitária e à renovação missionária, necessária como vem insistindo o papa Francisco em seu magistério ao pedir uma “Igreja em Saída”.

Dom Sérgio apresentou a experiência da modalidade de visita denominada “Visita Pastoral Missionária” realizada em Brasília e em outras dioceses do Brasil aos novos bispos. “Esta experiência registra muitos frutos pastorais. Trata-se de uma Visita Pastoral realizada simultaneamente com visitas missionárias contando com leigos e leigas e envolvendo diversas paróquias e padres de um mesmo setor”, partilhou.

(Fonte: CNBB Nacional)

Confira também

CARDEAL DOM GERALDO MAJELLA CELEBRA 40 ANOS DE EPISCOPADO EM LONDRINA

Uma caminhada de serviço à Igreja como o próprio Deus deseja. Durante sua vida, o …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.